RESTAURANDO A VISÃO | Pr Yoy | 18.12.16

RESTAURANDO A VISÃO
(Mensagem ministrada pelo Pr. Joy em 18/12/16)
Texto-base: Marcos 10:46-52

Nos dias difíceis em que vivemos, a igreja tem um papel muito importante. É através dela que Deus pode mudar a situação de uma cidade, e até de uma nação. Quando a igreja busca a Deus, e compreende o rumo que deve seguir, ela tem o potencial de mudar um país.

Para que isso aconteça, é necessário que tenhamos a nossa mente transformada. Quando Cristo entra na vida de uma pessoa, Ele toma a mente, o coração e as emoções. Com uma mente transformada pelo Espírito, a igreja tem poder para mudar situações. Uma mente transformada nos permite tomarmos decisões acertadas.

Vejamos o exemplo de Bartimeu. Ele era cego, e em certo dia ele percebeu uma movimentação diferente ao seu redor: aquele que podia mudar a sua situação estava passando por ali. Ao encontrar-se com Jesus, Bartimeu teve a sua situação transformada. Ele tomou a decisão mais acertada: clamar pela misericórdia de Jesus. E essa decisão mudou a sua situação.

Quando olhamos ao nosso redor, em nossas cidades, percebemos muitas pessoas “cegas”, distantes de Deus. E a igreja deve ser o agente que anuncia que Cristo está passando. Não podemos ficar indiferentes à esta realidade. Não basta estarmos presentes na sociedade. Temos que fazer a diferença, anunciando Cristo para àqueles que estão cegos.

Quando Cristo falou com Bartimeu, ele estava desesperado, pois queria ver. E por isso ele clamou o mais alto que pode. Bartimeu dependia da misericórdia das pessoas, mas agora queria a misericórdia de Deus. Só ela pode mudar situações. E o nosso papel, como igreja, é revelarmos o amor e a misericórdia de Deus.

VISÃO MISSIONÁRIA IBMS | Pr Shane | 11.12.16

VISÃO MISSIONÁRIA IBMS
(Mensagem ministrada pelo Pr. Shane em 11/12/16)

A partir da experiência missionária de Paulo, podemos extrair alguns princípios que norteiam a visão missionária da IBMS…

1) Missionários atuam, primeiramente, na igreja local.
“Assim, durante um ano inteiro, Barnabé e Saulo se reuniram com a igreja e ensinaram a muitos.”
(At 11:25)

2) Missionários lideram em casa antes de liderar no outro lado do mundo.
“Em Antioquia, os discípulos foram chamados pela primeira vez de cristãos.” (At 11:25)

3) Houve envio e missão cumprida em menor escala antes do grande envio.
“Tendo terminado sua missão, Barnabé e Saulo voltaram de Jerusalém, levando consigo João, também chamado de Marcos.” (At 12:25)

4) Missionários faziam parte da liderança principal da igreja.
“Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo.” (At 13:1)

5) É o Espírito que separa missionários.
“Enquanto adoravam o Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: ‘Separem-me Barnabé e Saulo para a obra que os tenho chamado.’”. (At 13:2)

6) A igreja local tem autoridade de enviar missionários.
“Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes as mãos e os enviaram.” (At 13:3)

7) Voltaram à igreja local para serem uma bênção.
“De Atália navegaram de volta a Antioquia, onde tinham sido recomendados à graça de Deus para a missão que agora haviam completado. Chegando ali, reuniram a igreja e relataram tudo o que Deus tinha feito por meio deles e como abrira a porta da fé aos gentios. E ficaram ali muito tempo com os discípulos.” (At 14:26-28)
O que aprendemos com estes princípios?

1) Missionários devem ser aprovados e enviados pela igreja local.
Como você tem investido sua vida e suas finanças em missões para que possamos levntar e enviar missionários?

2) As grande promessas, missões e empreendimentos passam pela igreja local.
Como você vive e investe na missão na sua igreja?

3) A igreja conhecia e manteve um relacionamento íntimo e pessoal com seus missionários.
Você tem procurado saber mais e comunicar-se mais com seus missionários?

Jó, um exemplo de vida | Pr Ranulfo | 04.12.16

JÓ, UM EXEMPLO DE VIDA
Texto: Jó 1-2:10
(Mensagem ministrada pelo Pr. Ranulfo em 04/12/2016)

Até quando vamos ser impactados pelas tragédias?
Quando nos deparamos com tragédias – como a da última madrugada de terça, dia 29/11, com a queda do avião que transportava a delegação da Chapecoense e onde 71 pessoas perderam a vida – buscamos respostas e/ou culpados.

Como lidar com o sucesso e fracasso, vitórias e derrotas, a vida e a morte?
Vivemos em uma sociedade que sufoca com a pressão por resultados positivos e ameaça quando isso não acontece, nos fazendo esquecer que não temos domínio nem sobre a própria vida. Limitamos nossa vida à esta terra e desconsideramos a eternidade, chegando até a tratá-la como utopia, algo irreal.

Um dia a tragédia bateu na porta de Jó
Não consideramos a chegada sem aviso prévio das tragédias e, infelizmente, parece que elas têm o poder de nos acordar, de rever o rumo e foco de nossa vida. Satanás tenta provar a Deus que a adoração e fidelidade de Jó não eram verdadeiras, que ele era fiel pois Deus o cercava de bênçãos e que, ao perder o que tinha, amaldiçoaria o nome de Deus. Ele queria provar que é impossível alguém se relacionar ou adorar a Deus sem interesse.

Ensinamento e valores de Jó – o poder de nos aproximar ou nos afastar de Deus
1) Nós pais somos responsáveis por transmitir valores espirituais aos nossos filhos. (Jó 1:4)

2) Deus é soberano em qualquer batalha espiritual. (Jó 1:7) É o Senhor quem inicia o diálogo com Satanás. (Jó 1:12) Deus impõe limites à provação de Jó. (1 João 5:18)

3) Temos um inimigo. (2 Coríntios 11:14). Não devemos temê-lo porém também não o subestimamos. Ele não está parado, tem a liberdade de perambular pela terra, até que se cumpra Apocalipse 20:2. Enquanto isso não acontece, só existe um meio de vencer este inimigo, cfme Tiago 4:7.

4) Este inimigo deseja destruir a “imagem e semelhança de Deus”. Era seu desejo com Jó e o mesmo hoje com a raça humana. (João 10:10). Façamos como a orientação do apóstolo em 1 Pedro 5:8.

5) Apreda a viver com as perdas. (Jó 1:20-22). Não estamos preparados para perder na vida. A perda vem revestida de dor e traz um sentimento de fracasso, questionamentos e suposições, assumindo uma culpa que não temos e ignorando a soberania divina. Jó ficou desnudado diante da dor das perdas, mas ciente de que nu entramos e nu sairemos. Tudo o que tenho é para a glória de Deus? Se a tragédia bater à minha porta, estarei apegado àquilo que é passageiro?

Mas a dor há de fazer parte da nossa existência enquanto estivermos nesse mundo. Fomos criados para viver no Jardim do Éden, mas estamos do lado de fora, convivendo com o pecado e a doença, um mundo que jaz no maligno. (1 João 5:19). A promessa de Jesus é real hoje: João 16:33.

6) Deus trabalha no silêncio. (Jó 31:35-40). Deus fica em silêncio e Jó faz perguntas. Deus só se manifesta no cap. 38. Se Deus está no controle de sua vida, creia que, no silêncio Deus: prova sua fé, neutraliza o inimigo, vai agir, te sustenta, teu pranto cessa. Seus planos são verdadeiros e ninguém pode impedí-los. (Jó 42:2). Jeremias 29:11-13.

A DOR DAS PERDAS NÃO PODE SER MAIOR QUE A CONVICÇÃO DA NOSSA ESPERANÇA VIVA – JESUS! (Lamentações 3:21-26)

Deus projetou um lindo plano para a humanidade caída e sem a esperança de um Salvador e Senhor. Quando ouvimos que a tragédia bateu à porta de alguém que conhecemos, a pergunta que fazemos é se a pessoa que morreu conheceu o Senhor. (Ezequiel 33:8).

Marchem para vencer | Pr Junior | 27.11.16

MARCHEM PARA VENCER
Texto: Josué 6
(Mensagem ministrada pelo Pr. Junior em 27/11/2016)

Os muros de Jericó eram imensos e impenetráveis. Envolviam a cidade como uma armadura, um círculo de pedra, que se erguiam a uma altura de 13 metros. Os habitantes de Jericó eram ferozes e desumanos. Resistiam a todos e expulsavam todos os invasores. Praticavam o sacrifício de crianças. Queimavam “seus filhos e filhas no fogo em sacrifícios aos seus deuses” (Deuteronômio 12:31). Até o dia em que Josué apareceu. Até o dia em que seu exército veio. A fortaleza indestrutível se deparou com uma força irrefreável. A poderosa Jericó ruiu. Mas não foi Josué quem derrubou os muros e muito menos seus soldados. Foi obra de Deus. E Deus fará isso por você.

Qual é a minha Jericó? Sua Jericó pode ser seu medo, sua raiva, sua amargura ou seu preconceito, sua insegurança em relação ao futuro ou sua imaturidade, sua meninice, sua ansiedade, seu criticismo. Sua Jericó é qualquer atitude ou postura que o afasta da alegria do Senhor, da paz e do descanso em Deus. E seus muros precisam cair.

Se você quiser viver na Terra Prometida, precisa enfrentar sua Jericó.
Nem sempre é fácil. Cada nível de herança exige uma desapropriação do diabo. Satanás precisa ser expulso para que o Santo possa entrar. Josué disse ao povo para entrar e tomar posse da terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá. (Josué 1:11). O verbo traduzido como “tomar posse” significa ocupar (expulsando moradores antigos e assumindo a propriedade em seu lugar). A Palavra de Deus a Josué é a palavra de Deus a nós: “Seja forte e corajoso” (16). Não dê ouvidos ao seu medo. Não recue diante de suas preocupações. Possua a terra que Deus lhe deu.

Deus não disse: “Josué, invada a cidade.” Deus disse: “Josué, aceite a cidade que eu conquistei.” Josué não avançou esperando pela vitória; ele sabia que Deus já havia vencido. (Josué 6:2). Deus já prometeu uma vitória e providenciou as armas para a luta. O general lhes explica o plano de ataque mais improvável: “Levem a arca da aliança do Senhor. Sete de vocês levarão trombetas à frente da arca” (Josué 6:6)

Josué ordena que os soldados marchem na frente e atrás dos sacerdotes e instrui os sacerdotes a tocarem as trombetas continuamente enquanto dessem a volta na cidade uma vez por dia. Josué tem pelo menos 40 mil soldados às suas ordens… e o que ele quer é que fiquem quietos e assistam? Que tipo de guerra é essa? Guerra espiritual.

Cada guerra, no final das contas, é uma guerra espiritual. Cada conflito é uma luta contra Satanás e suas forças. Paulo nos encorajou a permanecer “firmes contra as ciladas do diabo” (Efésios 6:11). A palavra grega que ele usou para “ciladas” é methodia, da qual deriva a nossa palavra “método”. Satanás não é passivo e não obedece a regras. Ele é ativo e enganoso. Ele tem planos e estratégias. Consequentemente, nós também precisamos de uma estratégia. (2 Coríntios 10:3-4)

Assim como Jericó era uma fortaleza em Canaã, nós também temos fortalezas em nossas vidas. Elas se levantam contra o “conhecimento de Deus”. Tentam ofuscar nossa descoberta de Deus ou aumentar o problema e minimizar a solução. Existe uma fortaleza que domine você? Você não consegue ver algo além de Jericó?
– fortaleza da culpa (Deus jamais poderá me perdoar).
– fortaleza da mágoa (Jamais conseguirei perdoar aquela pessoa) .
– fortaleza da autocomiseração  (Coisas ruins sempre acontecem comigo);
– fortaleza do orgulho (Preciso estar no controle);
– fortaleza da rejeição (Não mereço ser amado);
– fortaleza da derrota (Jamais me recuperarei);
– fortaleza do desempenho (Preciso ser bom, senão Deus me rejeitará);
– fortaleza da aparência (Serei aceito de eu tiver uma boa aparência);
– fortaleza do materialismo (Meu valor é determinado pelas minhas posses).

Mas, as nossas armas são de Deus e temos o poder “para destruir fortalezas” (v. 4). Como? Mantendo Deus no centro. A arca da aliança era o símbolo da presença do Senhor. Josué colocou a arca no centro da marcha. Cada atividade girava em torno de Deus. Não atacamos nossa Jericó com raiva, acusação ou apontando o dedo… não… mantemos Deus no centro, usando as armas da adoração, das Escrituras e da oração.

Deus instruiu Josué a encher o ar com o som da vitória.
Sua batalha com o Diabo é igualmente desafiadora. Ele tem ocupado essa fortaleza em sua vida durante anos. Mas agora você pode vir com o poder de Deus. Você vem não com esperança de uma possível vitória, mas com a certeza da vitória completa. Marche como um conquistador da Terra Prometida. Toque seu shofar. Cante hinos de redenção e declame passagens de triunfo. Quando você fizer isso, os demônios começarão a recuar. Eles não tem outra escolha senão fugir. “Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês”. Tiago 4:7

Continue andando. Tenha fé. Confie na promessa do nosso General, Cristo. Pois este pode ser o dia em que os muros cairão. Você pode estar a poucos passos de um momento como este. (v. 15-16, 20).

Um grande abalo está esperando este mundo também. Nosso Josué (Jesus), dará o sinal, uma trombeta tocará. Ele tomará para si tudo o que é seu e repelirá, de uma vez por todas, cada demônio. Ele fará mais uma vez o que já fez em Canaã. Até isso acontecer, continue marchando e crendo que você pode vencer suas fortalezas… com as armas do louvor, das Escritura e da oração e se desfaça de tudo aquilo que atrapalha você a batalhar suas batalhas… as armas da vingança, do ódio, do ressentimento, da ingratidão. E pegue a única arma eficaz pra essa batalha: A BÍBLIA. É só uma questão de tempo até sua Jericó cair.