Série TEU REINO | #04 UMA VIDA DE SABORES E CORES DIVINAS | Pr Tércio da Rosa| 03.02.19

#04 UMA VIDA DE SABORES E CORES DIVINAS
(Pr Tércio da Rosa, 03/02/19)
Mateus 5:13-16

“Permitam-me dizer por que vocês estão aqui. Vocês estão aqui para ser o sal que traz sabor divino à terra. Se perderem a capacidade de salgar, como as pessoas poderão sentir o tempero da vida dedicada a Deus? Vocês não terão mais utilidade e acabarão no lixo. Há uma outra maneira de dizer a mesma coisa: vocês estão aqui para ser luz, para trazer as cores de Deus ao mundo. Deus não é um segredo a ser guardado. Vamos torná-lo público, tão público quanto uma cidade num plano elevado. Se faço de vocês portadores da luz, não pensem que é para escondê-los debaixo de um balde virado. Quero posicioná-los onde todos possam vê-los. Agora que estão no alto do morro, onde todos conseguem enxergá-los, tratem de brillhar! Mantenham sua casa aberta. Que a generosidade seja a marca da vida de vocês. Mostrando-se acessíveis aos outros, vocês motivarão as pessoas a se aproximarem de Deus, o generoso Pai do céu.” Mateus 5:13-16 AM

QUE MUNDO ERA ESSE? E COMO ELE ESTÁ HOJE? (1 João 5:19)
O mundo ESTAVA em trevas e VIVE nas trevas. Temos uma sociedade consumista, narcisista, violenta, gananciosa, hedonista. Que gasta dinheiro para ter mais dinheiro. Onde a lógica é individual. Justiça e igualdade não fazem parte do jogo. Vivemos na época da pós verdade, onde o que é dito não tem valor, credibilidade ou autenticidade e a mentira se torna verdade por repetição.

Qual é a visão que você tem do mundo em que vivemos?
Pra você ele está em chamas ou ainda é um bom lugar pra se viver?
A verdade é que o mundo é mau porque o homem é mau e não quer se submeter à vontade de Deus. E essa diferença vai dar o tom de seu compromisso com a palavra de Jesus.

SAL: O BOM NO MEIO DO RUIM
Jesus ao dizer “vocês são o sal da terra” está ressaltando a qualidade de PRESERVAR, de evitar a deterioração. O mundo está apodrecendo e não pode impedir a própria deterioração. O sal pode interromper ou retardar o processo de putrificação, da corrupção social e moral.

Pra fazer isso, o sal precisa ser esfregado, ou seja, o ato de preservar e conservar pressupõe contato. Relacionamento. Precisamos nos “esfregar” nas pessoas. A metáfora aqui é de INFLUÊNCIA e não de CONTROLE. Nossa missão não é controlar nem julgar o mundo, mas preservar o que é bom. Nossa missão é salvar o mundo da putrificação e insipidez.

O propósito da vida no Reino de Deus não tem nada a ver com o bem estar do discípulo. No mundo tereis aflições! Ser SAL implica em agregar valor num mundo em estágio avançado de podridão, que tira minha paz, minha saúde, meu dinheiro, meu tempo. Isso significa pagar o preço, anunciar o Evangelho o tempo todo com minha vida, meu testemunho e não necessariamente com meu discurso. (Se não somos a expressão do amor de Jesus, se não somos a Bíblia que o mundo lê, não há propósito em caminhar com Jesus e fazê-lo conhecido).

Ao mesmo tempo, ao ser usado o sal some… cumpre seu papel mas não aparece… e eu? Será que escolho a hora e o lugar para ser SAL? Digo quando devo sair do saleiro? Quão protagonista sou neste Reino?

Ser sal é ser irmão. É chorar com os que choram. Ação, atitude. Se me converti a Jesus, preciso me converter às pessoas. Ele ama as pessoas. Não classifico o pecado para justificar como e quando agir.

PUREZA E CONTAMINAÇÃO
O sal não estraga porque não é uma molécula orgânica. Porém, mesmo sendo um elemento químico estável, pode ser contaminado por impurezas, tornando-se inútil e até perigoso! A contaminação na maioria das vezes é sutil. Andamos num mundo sujo (Jesus lavou os pés dos discípulos), onde o risco de contaminação é real!

À época de Jesus, o sal era indispensável na apresentação de alguns sacrifícios no templo dos judeus. Quando recolhido do Mar Morto, parte era vendida para ser usada na alimentação, preservação e na medicina. A parte que se estragava era amontoada em depósitos para ser utilizado quando o inverno chegasse. Como em Jerusalém neva um pouco, o mármore do templo ficava escorregadio e perigoso. O sal era então jogado no chão e pisoteado pela multidão. Jesus disse que esse sal para nada mais servia. Quando somos contaminados, passamos “de SALvadores da sociedade a material de pavimentação de estradas!” A. B. Bruce

Como sal, temos a responsabilidade de interceder, de orar por mudança, por arrependimento, salvação. Mas se minha identidade for comprometida, se for negligente, serei lançado fora, sem valor, sem utilidade. Sem lugar para Deus ou no mundo e, neste caso, um inútil. A salinidade do cristão, a capacidade de salgar, de cumprir com seu propósito no mundo é o seu caráter: “Cuide do seu caráter que Deus cuida de sua reputação.”

NA MEDIDA CERTA (Colossenses 4:5,6)
Se para preservar o sal é usado em boa quantidade, de forma intencional, para dar sabor é importante ter equilíbrio. Já tentou comer algo que foi salgado além da conta?

É preciso saber como e quando usar o que Deus me deu. O que faço pode ser certo, mas não na medida e intensidade. Jesus atraiu as crianças. Jesus atraía as pessoas, multidões! Como você tem agido? Sou um repelente ou atraente de Jesus?

Que tipo de SAL você pretende ser? A que finalidade quer servir?

LUZ DO MUNDO (João 8:12)
Se o SAL diz respeito ao nosso caráter, a LUZ refere-se ao nosso testemunho.

A frase que diz que você nasceu para brilhar está correta! Mas brilhar pra quê mesmo?
O brilho dessa luz são as obras que glorificam a Deus, quando proclamo com palavras e com atos. Você é a LÂMPADA e Jesus é a LUZ; as pessoas precisam louvar a luz e não o meio pelo qual ela é gerada.

A razão pela qual muitas vezes não cumprimos plenamente o PLANO e o PROPÓSITO de Deus em nossas vidas está associada à uma incompreensão de quem somos e da nossa identidade. E um dos aspectos de nossa identidade é ser LUZ (Filipenses 2:12-15).

Jesus é a LUZ (João 1:8,9, 12; 9:5). A figura da luz, nosso testemunho é revelação. É nossa responsabilidade viver e manifestar o que Jesus nos ensinou, revelar o Pai (Efésios 1:18 / 2 Coríntios 4:3,4).

Que tipo de revelação Jesus trouxe? (1 João 1:5-7 / João 12:44-46) Jesus esteve para revelar o Pai, revelar Deus, manifestá-LO nesta terra. E nós temos a mesma responsabilidade. Fomos comissionados. Ser cristão não é apenas ter um código de conduta diferente, é revelar Deus nesta terra, ser luz aos que estão em trevas.

1 João 4 diz que “ninguém jamais viu a Deus…” mas diz também que “Deus é amor…”. O amor é a manifestação dEle, da Sua essência… quando andamos em amor, revelamos ao Pai. A força da nossa pregação não está apenas no que dizemos, mas na maneira como vivemos.

O QUE FAÇO PARA SER A LUZ?
Os maiores inimigos da nossa fé são o medo (dos homens) e a dúvida (Mateus 10:28 / Tiago 1:5-8). Temos um “tesouro em vaso de barro” e essa fragilidade, da nossa limitação carnal, por vezes impede a manifestação de Deus em nós. Na medida certa, pode nos ajudar a dar espaço ao quebrantamento e ao arrependimento, deixando que Cristo apareça ao quebrar o vaso e manifestar a luz. Só vou ser luz se a graça me abastecer, se o Espírito Santo me tocar.

Que tipo de LUZ você pretende ser? A que finalidade quer servir?

O QUE IMPLICA SER SAL E LUZ NO MUNDO?
1. DIFERENÇA. Existe uma diferença fundamental entre cristãos e não cristãos. A igreja e o mundo são comunidades separadas e sua relação depende da diferença. Para ser sal e luz precisamos ser diferentes na prática. Uma diferença que precisa ser conhecida, reconhecida para então ser influenciada.

2. RESPONSABILIDADE. Precisamos aceitar a responsabilidade que esta diferença coloca sobre nós. Somos chamados para servir O mundo e servir NO mundo. Não podemos viver alienados nem como vítimas. Onde eu POSSO ESTAR/TENHO IDO para agir e evitar a deterioração?

3. SE DAR E SE GASTAR (2 Coríntios 12:15 / Gálatas 6:9 / 2 Tessalonissenses 3:13). Ser SAL e LUZ cansa. Mas tenha ânimo, coragem… Jesus venceu o mundo! Não se canse de clamar, de chorar com o Espírito, de ser o sal que não se contamina, que foi purificado pelo sangue derramado na cruz. Não se canse de ser a luz que elimina as trevas da alma. Não se canse de ser usado por Jesus. Esta é a única maneira de viver a plenitude do “já” e do “ainda não”… começa aqui, com a esperança do céu!

COMO PODEMOS SER SAL E LUZ?
DENUNCIANDO o que não está certo, sendo mais corajoso na condenação do mal. Jesus não disse que somos “O MEL DO MUNDO”, mas o “SAL DA TERRA”. Nada fica escondido quando a luz entra.

APOIANDO o que é bom. Na Igreja ou fora dela, os projetos sociais, os grupos de relacionamento, as boas ideias e iniciativas. Somos chamados a melhorar as estruturas da sociedade e transformar as pessoas através do Evangelho. A Reforma Protestante trouxe acessibilidade à Palavra. As igrejas cristãs da Inglaterra detonaram a ação abolicionista no séc XIX. A Igreja influenciou e criou ao longo da história universidades, hospitais, bibliotecas, estudos científicos, política, direitos humanos… é a nossa vez!

Que Ele nos dê graça de salgar a terra, a vida de quem está perto, com um Evangelho que preserva e que Ele seja a nossa fonte para ser a luz do mundo, refletindo vida, capaz de eliminar a escuridão da alma.