02/40 dias C.A.F.E. | O VIRAL RESTAURADOR

Enquanto o mundo acumula, o povo de Deus compartilha
O VIRAL RESTAURADOR
Devocional 02 por Pr. Shane Latham

“Em tudo o que fiz, mostrei a vocês que mediante trabalho árduo devemos ajudar os fracos, lembrando as palavras do próprio Senhor Jesus, que disse: ‘Há maior felicidade em dar do que em receber’.” Atos 20:35

Hoje, no mundo digital, compartilhar significa passar adiante algo que você curtiu; pode ser algo pessoal, uma selfie, uma palavra ou pensamento seu ou de terceiros. Não precisa ser original nem autêntico, basta ser algo com que você deseja ser associado. Nas mídias sociais, uma postagem muito compartilhada se torna “viral”. Entre os materiais mais compartilhados estão:
Fails: vídeos de quedas ou momentos de vergonha;
Roasts: vídeos ou textos que queimam com crítica e sarcasmo;
Desabafos: reclamações e acusações de forma pública para causar constrangimento;
Desafios: pessoas fazendo loucuras dolorosas, nojentas e perigosas para chamar atenção e se tornarem celebradas pela comunidade online.

Interessante o uso da linguagem infectológica ao falar do compartilhar online (viralizar). Chamo esta cultura negativa e fútil, do “viral degenerativo”. É claro que também há muita coisa produtiva, engraçada, inspiradora e educativa, compartilhada simultaneamente, como diamantes espalhados no lixão. Chamo a essa última de “viral restaurador”.

Vivemos hoje a realidade do impacto global de um vírus originado no outro lado do mundo, passando de mão em mão, chegando até nós. Imagine agora como palavras e imagens que passamos adiante também se espalham pelo mundo da mesma forma. Pense! Eu tenho uma voz, conteúdos passam por minhas mãos e sou parte do problema ou da solução. Num mundo onde a rede de relacionamentos online democratizou a transmissão viral, nossos maiores desafios são discernimento e autenticidade. Seja digital ou pessoalmente, examine a qualidade daquilo que você compartilha.

“Tem algum valor restaurador em passar isso para frente?”
“Estou vivendo as virtudes que repasso?”

Lembremos: “multiplicamos o que celebramos”. Os programadores de sites sociais entendem isso pois é só curtir ou compartilhar algo e de repente, conteúdo parecido começa a aparecer no seu mural. Pense nestas três práticas que recomendo aos meus filhos sobre o compartilhar online:

• Só passe adiante coisas que você realmente leu e conferiu a veracidade;
• Pergunte se isso vai edificar no padrão Cl 4:5-6 antes de enviar adiante;
• Compartilhe mais conteúdo pessoal (foto sua, com pensamentos seus) do que de terceiros.
• O compartilhar online é apenas uma manifestação de crenças profundas que revelam seu coração.

Queria hoje levar você a refletir sobre “compartilhar” no sentido “nosso dever e privilégio (online e pessoalmente) de repartir o que temos de bom e autêntico, para derramar graça num mundo em crise.” Pense nestes três princípios do “compartilhar” como valor:

• Você não pode compartilhar algo que você não tem (seja autêntico);
• O compartilhar abre caminho para o receber (seja generoso);
• A mentalidade de abundância gera a atitude de compartilhar (seja grato e contente).

Considere estas resoluções:
• Abandone o compartilhar degenerativo (Leia Colossenses 4.5-6 e converse com alguém de confiança sobre sua cultura de compartilhar online).
• Invista num compartilhar autêntico (Leia Tiago 1.21-25 e converse com alguém de confiança sobre o desafio de viver as virtudes que projetamos).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s