04/40 dias C.A.F.E. | DEUS GOSTA DE TIRAR ÁGUA DE PEDRA

Enquanto o mundo acumula, o povo de Deus compartilha
DEUS GOSTA DE TIRAR ÁGUA DE PEDRA, LITERALMENTE
Devocional 04 por Ruben Cavalcanti

“Pegue a vara, e com o seu irmão Arão reúna a comunidade e diante desta fale à rocha, e ela verterá água. Vocês tirarão água da rocha para a comunidade e os rebanhos beberem.” Números 20.8

Existe uma expressão popular – tirar leite ou água de pedra – que, segundo o Google significa “fazer o impossível; em tempos de crise, quando se vive ganhando muito pouco, você conseguir sobreviver e sustentar uma família, por exemplo.”. Essa impossibilidade está relacionada ao fato de que a natureza dos dois elementos, água e pedra, são distintas e, portanto, uma coisa não deveria se originar da outra. No entanto, extrair coisas de diferentes naturezas umas das outras é uma das especialidades do Deus a quem servimos (Jo 2).

Contextualizando ao atual momento, imagine a crise humanitária que o povo de Israel estava sendo submetido ao sair da terra do Egito quando, após um mês no deserto, faltou-lhes o item mais essencial à vida humana biológica: a água. Imagine as crianças chorando, pessoas e animais adoecendo, uma verdadeira catástrofe. O estresse e o pânico tomaram conta de todos a ponto de desejarem retornar à vida de escravidão no Egito (Nm 20.5) ou até mesmo a própria morte (Nm 20.3). Ingratidão e reclamação surgiram no coração do povo e estes ameaçaram apedrejar o próprio Moisés! (Êx 17.4). A Bíblia então relata que “Moisés e Arão saíram de diante da assembleia para a entrada da Tenda do Encontro e se prostraram, rosto em terra, e a glória do Senhor lhes apareceu” (Nm 20.6) e o Senhor disse a Moisés: “Pegue a vara, e com o seu irmão Arão reúna a comunidade e diante desta fale àquela rocha, e ela verterá água. Vocês tirarão água da rocha para a comunidade e os rebanhos beberem” (Nm 20.8).

Apesar de todos os grandes milagres que Deus já havia feito pelo Seu povo, esse duvidou da presença real de Deus, o que a Bíblia define como “colocar Deus à prova” (Êx 17.7). Nesse caso, até mesmo o grande líder Moisés se deixou afetar, pois o contágio emocional em tempos de crise é extremamente “infeccioso”. A Bíblia relata que Moisés não fez exatamente como ordenado por Deus, fazendo um discurso carregado de acusação e orgulho, em oposição à sua típica intercessão nas outras ocorrências de rebeldia. Depois, ele bateu na rocha, quando deveria “falar” à rocha. No entanto, mesmo com essas atitudes, Deus, por sua infinita misericórdia, ainda assim concedeu água ao povo. E, ao final, Deus tratou diretamente com Moisés mostrando a ele que a intenção desse episódio era diferente dos outros, pois o nome do lugar aponta para a ideia de que Deus queria se mostrar “santo” ao atender o pedido do povo, e Moisés entendeu mal esse propósito, ou achou que ele seria alcançado por uma repreensão, e não pela concessão do pedido.

Um dos papéis que nos cabe como igreja em tempos de crise é o de compartilharmos alegria e gratidão. Essa é uma forma de sermos santos (separados) em relação ao modo que normalmente o mundo enxerga e vive a crise: com ingratidão, pânico, medo e desesperança. E não poderia existir na Terra um povo mais capacitado para tal tarefa que nós – igreja – cuja crença e esperança estão depositadas no Deus que “tirou água de pedra”, transformando a morte de Jesus na nossa Salvação Eterna! Se Ele utilizou o nosso pior inimigo para nos salvar, o que fará com a Vida?

Respondendo à pergunta acima, temos muito o que fazer com nossa nova vida em Jesus. Diferente do povo de Israel no deserto, devemos procurar aprender tudo o que Deus está querendo nos ensinar neste momento (o que Deus está falando?), em todos os níveis: como igreja, como nação, como família e como indivíduos. A atual crise aponta para algo muito além dela e Deus tem nos dado a oportunidade de “limpar nossas lentes” removendo barulho, poluição e “coisas extras” que costumamos levar no nosso dia a dia para, no fim, pensarmos no que é o essencial (Cl 3.2). Assim, podemos e devemos compartilhar esse aprendizado na forma de atos de amor, fé, esperança, alegria e gratidão com objetivo de fortalecer a fé dos irmãos e anunciar as boas notícias ao mundo. São muitas as oportunidades que Deus está nos dando nesse momento como:

• Aprender o real significado de que ser igreja não depende de um prédio;
• Retomar ou iniciar a realização de cultos caseiros e das rotinas espirituais;
• Passar mais tempo com a família, reaprendendo a ficar em casa e “esticando” nosso caráter no sentido do “suportar uns aos outros”;
• Chamar a atenção sobre os problemas sociais que nossos irmãos e a sociedade enfrentam;
• Compartilhar cargas (emocionais, físicas, necessidades básicas e financeiras, espirituais, etc.) uns com os outros;
• Usar a capacidade criativa dada por Deus a nós na busca de soluções para problemas do dia a dia;
• Nos chamar a darmos maior atenção aos problemas globais e regionais, bem como aos governantes instituídos por Deus.

Se permitirmos, a pressão da crise vai nos conectar com ainda mais intensidade, e, ao final, só conseguiremos passar por este momento sendo a única Instituição capaz de fazê-la de verdade: a igreja. Como dizia a música: “pare o mundo que eu quero descer!” O fato é que mundo parou e único lugar que você pode descer é aos pés de Jesus! Deus vai continuar tirando água de pedra, e Ele pode fazer isso através de você!

Música sugerida: Êxodo (Projeto Sola)
https://www.youtube.com/watch?v=_Lqhh2dmNBc

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s