15 Tiago | CORAÇÃO ALINHADO E RENDIDO A ELE | Miguel Schmitt

APLICAÇÕES PRÁTICAS PARA A VIDA – Estudos na Epístola de TIAGO
Semana 03 – Enquanto no mundo a fé é cultural, para o povo de Deus fé é funcional.

15) CORAÇÃO ALINHADO E RENDIDO A ELE
por Miguel Schmitt, em 17 de maio de 2020

“Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Marcos 21:31)

Certa vez fui desafiado a ajudar um irmão querido a organizar algumas demandas referentes ao seu ministério. Fiquei muito feliz, quase orgulhoso, por poder ajudá-lo através dos dons, dos talentos e das experiências que Deus me deu. Começamos o processo e me senti incomodado pelo Espírito Santo a aprofundar a discussão para questões anteriores e mais profundas, que eram primordiais para o bom êxito da tarefa inicial. Pensei: “nossa, como é bom ser usado assim por Deus”.

Escrevi “quase orgulhoso” no início, não foi? Pois é, só que a verdade é que o orgulho já estava tomando conta do meu coração. Apesar de a minha intenção ser boa, havia uma missão oculta dentro de mim, que era mostrar o quanto eu sou bom. Inicialmente isso não estava claro para mim, até Deus me mostrar a missão que Ele tinha a realizar na minha vida. Ele começou me revelando isso de mansinho por meio deste texto: “Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência.” (Tg 1:23,24).

Diante desses versículos de Tiago, perguntei a mim mesmo: “Como assim? Estou ajudando o próximo, estou servindo! Não estou entendendo.” Era verdade; eu estava servindo. Deus, porém, queria mexer em mim, muito mais do que eu imaginava. Tudo aquilo que eu pretendia “resolver” na vida daquele amigo, eu precisava “resolver” na minha também. Eu estava esquecendo a minha aparência, mas Deus me colocara ali, para que eu não pudesse mais fugir do espelho.

Foi reconhecendo a minha condição que pude pedir ajuda ao Senhor para me posicionar como no versículo seguinte: “Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer”. (Tg 1:5). A lei de que o texto fala não é a da justiça própria, que me levou a perguntar para Deus: “como assim? Estou ajudando o próximo. Estou cumprindo a norma!”. O convite do texto é para um novo tipo de obediência, que se dá pelas obras da fé (Tg 2:17), e não pela lei. Essa fé é aperfeiçoada pelo amor (Gl 5:6).

Jesus declara que “uma boa árvore traz bons frutos” (Mt 7:17). Os frutos são a única maneira que a fé tem de se tornar visível. Reconheço que é somente pela boa vontade e pela sabedoria que só Deus pode dar que tenho a chance de viver nessa perspectiva.

Deus quis mexer ainda mais com o meu orgulho e me presenteou com o texto de I Co 3:18-4:7. É extenso, mas espero que você leia. Vou expressar aqui o que Deus falou comigo: “Estavas te achando muito bom, hein? Ajudando teu amigo com boas ideias, ouvindo o guiar do Espírito Santo… É… Realmente estavas. Aí pintou o orgulho, não foi? Não te enganes, pensando que tu és sábio. Tua sabedoria para mim é loucura, não sejas fútil! Lembra que estás neste mundo para ser servo! Te amo, filho. Agora faz o caminho de volta, pede perdão e termina o que começou; desta vez, mantém o teu coração alinhado ao Meu.

Por fim, meu amigo e eu passamos a caminhar juntos: reconsagramos a Deus as nossas vidas, colocando como prioridade amá-Lo e buscá-Lo em primeiro lugar (não para cumprir agenda, mas de fato e de verdade); passamos a reservar um tempo diário, relevante e de qualidade para o convívio pessoal com Ele por meio da sua Palavra, sob a condução do Espírito, buscando colocar em prática tudo o que aprendemos; escolhemos ter momentos de qualidade com nossas esposas e nossos filhos, para que, a partir disso, pudéssemos dar bons frutos em tudo mais que Ele estava colocando em nossas mãos.

Tenho convicção de que, pela bondade e misericórdia de Deus, essa “ajuda” serviu muito mais para mim, me lapidando, peneirando e edificando, do que para qualquer um outro. Aprendi, na prática, que a obra que provém da fé e age pelo amor requer, antes de tudo, um coração de servo profundamente rendido e consagrado ao Senhor, desprendido de si mesmo, disposto a servir sem esperar reconhecimento algum e pronto a pedir “que Ele cresça e que eu diminua” (Jo 3:30).

Graças a Deus que, apesar de nos acolher assim como somos, não nos deixa permanecer como somos. O que Deus, o Espírito e a Palavra têm falado a você no seu quarto secreto?

Música sugeridas:
Eu me rendo (Leonardo Gonçalves)
https://www.youtube.com/watch?v=_SzVzMh7qfM
Que Ele cresça (Deigma Marques)
https://www.youtube.com/watch?v=HIiVzSkwqxI&feature=youtu.be

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s