27 Tiago | O AUTOR DA VIDA | Raul Villanueva

APLICAÇÕES PRÁTICAS PARA A VIDA – Estudos na Epístola de TIAGO
Semana 04 – Enquanto o mundo usa palavras para incendiar,
o povo de Deus usa palavras para edificar.

27) O AUTOR DA VIDA
por Raul Villanueva, em 29 de maio de 2020

Existe um poder oculto na linguagem, e poucas pessoas prestam atenção: ela revela quem nós somos realmente. Nossas palavras geram identidade. Quando você pergunta a uma pessoa quem ela é, ela te dá um relato de quem ela é. Isto acontece porque nossa identidade está intimamente associada à nossa história.

Quando Cristo chega em nossa vida, Ele muda nossa história. É nesse momento que Ele reescreve o relato de quem nós somos, modificando automaticamente nossa identidade e o sentido da nossa história passada, presente e futura.

Para que uma história tenha sentido, ela precisa ter um significado. Na literatura, por exemplo, o “sentido” é a ordem específica que um autor dá a sua obra capítulo a capítulo (isso é chamado de texto), mas o “significado” é o que esse relato revela entre linhas para seus leitores (isto é chamado de subtexto). E a união de ambos os componentes (sentido e significado) gera algo maior na história que está sendo contada: propósito.

O autor sabe qual é o propósito de cada personagem porque foi ele quem os criou. Do mesmo modo, o Autor da vida sabe para que você existe, porque foi Ele quem te desenhou. As mesmas palavras que criaram o universo foram as que te formaram no ventre da tua mãe, para que seja parte da história redentora que o Pai, o Filho e o Espírito Santo estão escrevendo.

Então, se a tua vida é um dos capítulos desta história eterna que Deus está escrevendo, que palavras encontraríamos nesse capítulo? Encontraríamos palavras de sabedoria? Poderíamos ler que suas palavras edificaram as pessoas que você amou? Encontraríamos palavras de ânimo? Palavras de encorajamento? De alívio? Palavras de paz?

Ou, ao contrário, encontraríamos palavras que gerariam destruição, feridas e discórdia? Pode de um mesmo lugar sair bênção e maldição? Se formos sinceros com nós mesmos, a resposta é um sim.

Ao longo da nossa vida, nossas palavras são cheias de erros e de acertos; existem palavras que nunca deveríamos ouvir e outras que jamais deveríamos falar. Existem palavras que ouvimos no momento de que mais precisamos e outras que falamos quando alguém mais necessita.

Uma boa palavra no momento oportuno pode sarar um coração. Uma palavra ruim pode ferir uma vida. Nossos pecados nos fazem errar. A santidade nos faz acertar.

Que faremos então? O mesmo que fez Davi: dirigir nossas palavras, nosso clamor e nossa oração ao único Deus. Só Ele pode ajudar a colocar um guarda e um vigia na nossa boca, um dia de cada vez:

“Clamo a ti, Senhor; vem depressa! Escuta a minha voz quando clamo a ti. Seja a minha oração como incenso diante de ti, e o levantar das minhas mãos, como a oferta da tarde. Coloca, Senhor, uma guarda à minha boca; vigia a porta de meus lábios.” Salmo 141:1-3

Existe um poder oculto na linguagem, que poucas pessoas prestam atenção: ela revela quem nós somos realmente.

Que nossas palavras revelem a Cristo, o Autor da vida.

Música Sugerida: Pintor do Mundo (Pr. Lucas)
https://youtu.be/BF0q-LAn8fw

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s