Móbile #14 | Raul e Cláudia | 22.09.20

Queimem os Navios

“E Eliseu voltou, apanhou a sua parelha de bois e os matou. Queimou o equipamento de arar para cozinhar a carne e a deu ao povo, e eles comeram. Depois partiu com Elias, tornando-se o seu auxiliar.” (1 Rs 19:21 NVI)

      Há momentos na vida em que precisamos queimar os navios do passado. Fazemos isso ao tomarmos uma decisão definitiva que eliminará a possibilidade de navegar de volta ao velho mundo, o qual ficou para trás. Queimamos os navios chamados Fracasso Passado ou Sucesso Passado. Queimamos o navio chamado Maus Costumes. Queimamos o navio chamado Arrependimento. Queimamos o navio chamado Culpa. Queimamos o navio chamado O Meu Velho Estilo de Vida.

      Foi exatamente isso que Eliseu fez quando queimou seu arado e fez um churrasco com seus bois. Era seu último jantar. Ele disse adeus à velha vida dando uma festa para os amigos. Eles compartilharam uma refeição e contaram histórias até a madrugada. No entanto, foi a fogueira que fez daquela noite a mais significativa e memorável de sua vida, porque ela representava o velho Eliseu. Era o último dia da velha vida e o primeiro da nova vida.

      Queimar o arado foi a forma de Eliseu queimar o seu navio. Ele não podia voltar ao velho estilo de vida porque destruiu a máquina do tempo que o levaria até lá. Era o fim de Eliseu, o agricultor. Era o início de Eliseu, o profeta.

      Não importa se você está tentando perder peso, entrar para a faculdade, escrever um livro, começar um negócio ou quitar uma dívida. O primeiro passo é sempre o maior e o mais difícil. E você não pode simplesmente dar um passo em direção ao futuro, também precisa eliminar a possibilidade de voltar ao passado.

      É assim que perseguimos os nossos objetivos. 

      É assim que rompemos com os vícios.

      É assim que reconciliamos relacionamentos.

      Deixamos o passado no passado, queimando os navios que nos levam para lá.

      Para podermos iniciar um novo capítulo, é preciso encerrar um antigo. A forma de fazer isso é usar um simples sinal de pontuação. Você coloca um ponto final na página. Isso resolve o problema. Contudo, se você quiser ser mais dramático, pode usar um ponto de exclamação. É mais decisivo, mais definitivo. Então você vira a página e começa uma nova frase, que começa um novo parágrafo, que por sua vez começa um novo capítulo. O que é válido para a gramática é válido para a vida.

      Eliseu não estava apenas comprando uma ideia, ele estava deixando tudo para trás. E é disso que se trata uma entrega total. É estar completamente presente aqui e agora. É não viver no passado, nem no futuro. Isso não quer dizer que não aprendemos com o passado, nem que deixemos de planejar o futuro, mas o tempo em vivemos é o presente. Entregar-se completamente é viver como se cada dia fosse o primeiro e o último da nossa vida.

      É assim que nós enfrentamos nossos pecados em nossa família.

Raul, Claudia e Thiago

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s