Série EQUILÍBRIO | Equilíbrio do Corpo | Pr Tércio | 10.03.19

EQUILÍBRIO DO CORPO
(Pr Tércio, 10/03/19)
1 Ts 5:23-24

Jamais encontraremos o verdadeiro equilíbrio sem que percamos o controle e nos lancemos
completamente, em fé, nos braços de Deus, a fim de que, totalmente desestabilizados, possamos
encontrar o equilíbrio que Deus promove nas três áreas da nossa vida – corpo, alma e espírito.

MÚSICA PARA REFLEXÃO (pode ser apenas ministrada a letra ou tocada a música, se possível).
NO TEU JARDIM (Rodolfo Abrantes) https://www.youtube.com/watch?v=jssxMxnA-dI

CHECK-IN (atividade proposta no início da célula e que possibilita aos participantes perceberem como se
encontram naquele momento em relação ao tema proposto para reflexão).
1) Entregue post-its para cada participante e peça que escrevam uma resposta para a seguinte pergunta:
QUANDO ME OLHO HOJE, O QUE VEJO QUE PRECISO MELHORAR NO EQUILÍBRIO DO MEU CORPO PARA GLORIFICAR A DEUS?
2) Peça que cada um cole a sua resposta numa parede, e depois leia as respostas (ou peça que alguns leiam e comentem as suas respostas).

Estamos iniciando uma nova série, quem tem por título EQUILÍBRIO – Santificados por inteiro. O propósito
desta série é conduzir-nos a compreensão de que, para movimentar-nos com mais força e poder dentro da
nossa cidade, as três áreas da nossa vida (corpo, alma e espírito) precisam andar juntas, em equilíbrio.
A primeira mensagem da série trata sobre o equilíbrio do corpo, porque a maioria de nós vive um
desequilíbrio neste aspecto. A mentalidade do cuidado de nós mesmos envolve um pensamento holístico,
integral do ser humano (corpo, alma e espírito). Precisamos encontrar o equilíbrio no que diz respeito ao
cuidado do corpo. Quando nos lançamos nos braços do Pai, desequilibrados, podemos viver uma vida
verdadeiramente equilibrada por Jesus.

QUAL O PROPÓSITO DE CUIDARMOS DO NOSSO CORPO?
LEIA 1 TESSALONICENSES 5:23,24. QUAL PARTE DO NOSSO SER SOMOS CHAMADOS A SANTIFICAR?
LEIA 1 CORÍNTIOS 3:16,17 E 1 CORÍNTIOS 6:13,19,20.QUAIS OS PRINCÍPIOS ESPIRITUAIS SOBRE O NOSSO CORPO QUE PODEMOS EXTRAIR DESTES TEXTOS? O QUE ELES NOS ENSINAM?

Primeiro princípio: somos casa de Deus, lugar que Ele escolheu para habitar. Nosso corpo é um templo
sagrado onde Deus habita. Somos, portanto, mordomos do nosso corpo e responsáveis por sua
restauração.

“Meu corpo não é propriedade minha, pertence a Deus, mas é parte importante de quem eu sou, presente
de Deus, onde Ele habita e através do qual Ele me concede desfrutar a vida que Ele mesmo me deu e, assim, manifestar a Sua Glória.”

Segundo princípio: quando eu cuido do meu corpo, eu não apenas tenho saúde, não melhoro minhas
relações interpessoais somente, não me torno apenas um mordomo confiável do corpo que Deus me
confiou, MAS EU GLORIFICO A DEUS COM O MEU CORPO.

Você não é o foco. Sua saúde é importante mas pode se tornar um ídolo. Seus relacionamentos são
importantes mas não podem ser o centro. Seu corpo não é sua propriedade. Deus é o motivo, Ele é a
razão, a glória Dele é o nosso propósito, nosso objetivo final. Quando você se alimenta bem, quando você
se exercita, quando você se cuida, você precisa colocar esse propósito acima de TUDO!

Para tanto, precisamos vencer três inimigos: (1) o prazer – 1 João 2:15-17; (2) a preguiça – Provérbios 20:13; (3) a indisciplina – Provérbios 16:32.

Desafio Espiritual: adore ao Senhor com o seu corpo, glorifique a Ele. Cuide dele de forma responsável e
equilibrada. Nem descaso e nem culto ao corpo.
Desafios Práticos: cheque seu coração para ver que lugar o seu corpo ocupa na sua vida. Equilíbrio ou
desequilíbrio? Descaso ou narcisismo?

Resolução: “Deus, sou teu, meu corpo Te pertence, e quero zelar por ele de forma equilibrada, glorificando
a Ti por meio Dele.”

Passos práticos: (a) resolva dormir de 6 a 8 horas; (b) resolva alimentar-se de forma saudável e
equilibrada; (c) inicie seus exercícios físicos; (d) faça exames periódicos (80% dos problemas de saúde são reversíveis se diagnosticados com antecedência); (e) revise e reorganize a sua agenda diária/semanal; (f) tire férias; (g) jejue; (h) pratique o Shabatt (princípio do descanso); (i) celebre cada vitória diária.

Material de apoio:
Sugestão de livro: “Plano Daniel – 40 dias para uma vida mais saudável.” Rick Warren, Dr. Daniel Amen e
Dr. Mark Hyman.

NOSSO DEUS DESEJA FESTA | Pr Shane | 03/03/19

NOSSO DEUS DESEJA FESTA
(Pr Shane, 03/03/19)
Lucas 15:1-7

Qual a sua cultura de festa da sua família? Quais os momentos de festa que vocês celebram? Você é intencional em relação a isso?

Normalmente, vemos as famílias envolvidas com muitas festas (Natal, Ano Novo, Páscoa, etc). Quando olhamos para a Bíblia, encontramos, na nação de Israel, muitas festas instituídas por Deus. Nosso Deus deseja festa. No entanto, muitas vezes a nossa religiosidade não nos permite realizarmos festas. Mas devemos quebrar esta cultura, e celebrarmos a Deus e aos seus feitos. A Bíblia nos relata três histórias de festa na casa do Pai, que serão chamadas, aqui, de “Trio Elétrico”, pois as três apresentam um fator chocante inserido nela. Três histórias eletrizantes da cultura de festa na casa do pai: a ovelha, a moeda e o filho perdido.

O texto de Lucas 15.1-7 nos apresenta dois grupos: os pecadores, que chegavam prontos para ouvir, e os religiosos, que chegavam prontos para criticar. As 99 ovelhas que foram deixadas no campo representam os religiosos que não entenderam sua condição de “perdido”.

A religiosidade já perdeu espaço para o arrependimento em sua casa?

Na parábola da dracma perdida (Lucas 15.8-10), vemos uma mulher empregando grande esforço para encontrar algo que era importante para ela.

Qual o esforço que você faz para encontrar algo que considera muito importante? (vs. 8)
O que tem sido motivo de festa na sua casa? (vs. 9)
Você se alegra com o que Deus se alegra? (vs. 10)

A parábola do Filho Pródigo (Lucas 15:11-31) narra o retorno de um filho arrependido à casa do pai, defrontando-se com o irmão mais velho, que não aceitava o tratamento que o pai estava dedicando ao filho que havia regressado.

Sua família celebra arrependimento e restauração? (vs. 22)
A cultura da festa de restauração confunde sua cabeça religiosa? (vs. 25)
Você se vê como filho ou como escravo? (vs. 29)

PERGUNTAS DE CHECAGEM
1) Você já entendeu que está perdido e Jesus é a sua única esperança?
2) Você valoriza e celebra arrependimento?
3) Você pratica a cultura da festa na casa do Pai?

Série TEU REINO | #07 AJUSTANDO O FOCO | Pr Michel | 24.02.19

AJUSTANDO O FOCO
(Pr Michel, 24/02/19)
Mateus 6:25-34

No texto de Mateus, Jesus continua estabelecendo a cultura do Reino, o padrão de vida de todo discípulo
Dele, nos ensinando que a nossa prioridade é a busca pelo Seu Reino e por tudo que o envolve. Jesus deixa claro aos seus discípulos que o restante é secundário, e será acrescentado se essa busca pelo Reino for a primeira coisa que façamos. “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas a vocês.”

Mas o que envolve buscar o Reino de Deus em primeiro lugar?

1) Buscar o Reino em primeiro lugar envolve NÃO acumular tesouros nessa terra
O dicionário define tesouro como grande quantidade de ouro, prata, coisas preciosas, posta em reserva;
lugar onde se guardam esses objetos; preciosidade; riqueza. Jesus ampliou a definição de tesouro,
ensinando que tesouro não são apenas riquezas materiais, mas a tudo aquilo ganha uma grande
importância na nossa vida . Algo que tanto “ricos” como “pobres” podem ter, algo que não importa o
tamanho nem valor financeiro, mas tudo o que me apego e dou importância exagerada mais que as coisas
do Reino, mas que são coisas terrenas e passageiras, portanto, sem valor eterno. Além de dinheiro, nosso
tesouro, pode ser posição social, honra pessoal, cargos, trabalho, pessoas e coisas.
Qual é o seu tesouro? O que pra você tem tomado grande proporção de busca na sua vida?

O dinheiro tem sido o deus dessa geração e tem exercido um poder com potencial de escravizar aqueles
que o possuem, tornando-os avarentos, mesquinhos, consumistas, materialistas e corrompidos. Todavia, é
importante ressaltar que o que Jesus está dizendo aqui não é que nós, como seus discípulos, não possamos ter dinheiro, ou que não devamos trabalhar e nem adquirir bens, de forma alguma, o que Jesus está dizendo é que isso não pode ser o foco da sua vida aqui na terra . Você deve aproveitar, adquirir e
desfrutar de tudo o que o Senhor tem te possibilitado viver, apenas não pode deixar isso ser a razão da sua vida. Use os recursos que você tem para a expansão do Reino e para ajudar as pessoas a sua volta. O seu amor a Deus e pelas coisas do Reino precisam ser maior que seu amor pelo dinheiro . Ver 1 Tm 6:9-10,17-19

2) Buscar o Reino em primeiro lugar envolve NÃO ser dominado pelas preocupações da vida
O encorajamento de Jesus aos discípulos é que não se preocupem com a sua própria vida, que não andem ansiosos por suas necessidades. A palavra preocupação remete a ocupar-se antecipadamente e o que Jesus os alerta é que não vivam dessa forma.

O Senhor Jesus nos alerta de que nada podemos fazer por nós mesmos, que mesmo que nos preocupemos, não poderemos acrescentar nada a nossa vida, nem mesmo uma hora a mais no nosso dia. Mas o que Ele fala é que nossa preocupação deve estar em buscar o Seu Reino e Sua justiça, pois todas essas outras coisas Ele nos daria, pois Ele sabe de tudo o que precisamos. (Ver Salmo 37.5)

Em Filipenses 4.6-7, Paulo nos alerta para não andarmos ansiosos, mas para levarmos tudo a Deus pela
oração, súplica e ações de graças. Assim, a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará os
nossos corações e mentes em Cristo Jesus. É aqui que, para o mundo, parece loucura. Como alguém cheio de situações que preocupam, que geram ansiedade, que tiram o sono de qualquer um, pode estar
desfrutando de paz? É realmente incompreensível a mente humana. O Senhor sabe tudo o que
precisamos, e não deixará faltar nada daquilo que é essencial para vivermos a vida que Ele tem para nós.

3) Buscar o Reino em primeiro lugar envolve ter a compreensão do que realmente é tesouro
Leia Mateus 13:44-46. Você consegue entender o que esse texto está nos dizendo? O que aprendemos
aqui é que quando descobrimos qual é o nosso verdadeiro tesouro, e ele está ali diante de nós, nos
desfazemos de tudo que temos, e com muita alegria, pois fazemos isso em troca de algo muito maior. Há
uma grande inversão aqui e só se compreendermos isso, é que nós deixaremos de correr atrás das coisas
dessa terra, do contrário permaneceremos cedendo as tentações desse mundo e dando grande
importância ao que não tem valor.

Quando olhamos pro texto base da mensagem, pensamos que, quando Jesus nos diz que não devemos
acumular tesouros nessa terra, Ele está querendo nos dizer que devemos renunciar, abandonar, deixar a
tudo o que vira prioridade em nossas vidas, tudo aquilo que se torna mais importante que a busca pelo seu Reino.

Como tem sido o nosso olhar para as coisas do Reino? Como algo que me é imposto buscar e que preciso
renunciar as coisas “boas” dessa terra? Ou já tenho a compreensão de que esse é o verdadeiro tesouro a
ser buscado e que devo entregar tudo por ele?

Série TEU REINO | #06 AMOR AOS INIMIGOS | Pr André D. | 17.02.19

AMOR AOS INIMIGOS
(Pr. André Delgado – 17/02/19)
Mateus 5:43-48

Você tem inimigos? Quem são seus inimigos?
Você tem certeza de que são inimigos mesmo?

Quando procuramos na internet a definição da palavra “inimigo”, encontramos o seguinte:
1. Adjetivo: que se encontra em oposição, se mostra hostil; contrário, funesto, adverso.
2. Substantivo Masculino: indivíduo que tem ódio a outro, ou que lhe é antagônico, hostil. Adversário
militar, político, ideológico, religioso etc.
3. Por Extensão Informal: o diabo.
A cultura do mundo é surpreendida ao se deparar com a cultura do Reino e o seu amor perfeito e
incondicional, expressado em 1 Co 13:4-7.
Amar os inimigos exigirá que você tome 3 atitudes:

1) ESCOLHA A CULTURA DO REINO
Mateus 5.43 diz: “Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’.”
Apesar de parecer uma antítese, o que encontramos neste texto é um problema de interpretação muito
conveniente para o povo de Israel. Quando eles receberam a orientação de Deus em Levítico 19.18, eles
decidiram que deveriam tratar bem apenas as pessoas do seu próprio povo. E isso se tornou uma cultura
em Israel. Todavia, Jesus os submete ao ensino de como deveriam ter compreendido anteriormente, qual
seja, amar a todos, incondicionalmente. Ver também Lucas 6.27-35 e Gálatas 6.7-10.

2) VIVA A CULTURA DO REINO AMANDO E ORANDO POR SEUS INIMIGOS
Em Mateus 5.44,45 lemos “Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os
perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus.” (contracultura do Reino) Viver a cultura do Reino amando e orando por meus inimigos nos faz filhos de Deus. Se amarmos quem
nos persegue, quem sabe um dia poderemos ser recompensados vendo a transformação desta pessoa? Ler também Lucas 6.28 e Romanos 12.19-21.

3) PERMITA QUE O AMOR PERFEITO DE DEUS SEJA APERFEIÇOADO NA SUA VIDA
Mateus 5.48 – “Sejam perfeitos como perfeito é o Pai celestial de vocês”.
O que significa ser perfeito? Neste contexto, significa que, da mesma forma como ajudamos um justo,
devemos ajudar um injusto. Talvez você não acredite que uma transformação possa acontecer, mas não
duvide desse amor que habita em você. Permita ser aperfeiçoado por ele. Leia 1 João 4:7,11,12,19,20,21.

Que outras histórias de perdão e amor aos perseguidores podemos encontrar na Bíblia?
· José perdoando os irmãos, que lhe venderam como escravo. (Gênesis 45.1-7)
· Paulo e Silas na prisão, impedindo que o carcereiro tirasse sua vida. (At 16.25-28)
· Davi sendo perseguido por Saul. (1 Samuel 24.1-22)

Que resposta daremos ao desafio de fazermos parte deste Reino e manifestá-lo, amando nossos inimigos? Responderemos positivamente ao convite de nos submetermos a Cristo em tudo? Seremos conhecidos como Filhos de Deus, permitindo que o amor seja aperfeiçoado em mim, e derramando desse amor sobre os que me perseguem?

Série TEU REINO | #05 O DNA DA FELICIDADE | Pr Robson | 10.02.19

O DNA DA FELICIDADE
(Pr Robson Ferreira, 10/02/19)
Mateus 5:3-10

Muitas pessoas olham para as bem-aventuranças como um manual, um passo a passo de como ser um
Cristão, como um “How-To” para alcançar o Reino do Céu, pois estamos acostumados a resolver as coisas desta forma, queremos resultados rápidos e queremos saber como obtê-los da forma mais produtiva possível, no menor tempo, com o menor custo e o maior lucro!
Mas a dura verdade é que essa lista não diz: “VIVAM ASSIM E VOCÊS SERÃO CRISTÃOS!” Do contrário diz: “JÁ QUE VOCÊS SÃO CRISTÃOS ENTÃO VIVAM DESTA MANEIRA!

FELIZES OS ESPIRITUALMENTE POBRES (Mateus 5:3)
Ser Humilde de Espírito ou Espiritualmente Pobre, aponta para um esvaziamento do que somos, pois não
podemos colocar vinho novo em um odre cujo conteúdo ainda não tenha sido despejado.
Nosso currículo, nossos talentos, nossas habilidades e personalidade não nos aproximará de Deus, pelo
contrário, nos dominará! Nossa moralidade, conduta ou bom comportamento não são credenciais para nos
aproximar de Deus! Não somos nós que nos aproximamos dele, é Ele quem se aproxima de nós e nos
invade quando estamos vazios de nós mesmos, para que estejamos cheios Dele e Espiritualmente
Pobres! (Filipenses 3:1-9)

FELIZES OS QUE CHORAM (Mateus 5:4)
São declarações como esta que faz o mundo pensar que somos loucos, Felizes os que choram, o mundo
não aceita isso. Jesus está aqui condenando aquela aparente felicidade, a felicidade momentânea e até mesmo instantânea que este mundo procura, e nesta bem-aventurança ele diz que Felizes são os que choram. Para nos ajudar a entender essa dinâmica devemos nos atentar ao fato de que só podemos experimentar a felicidade e a alegria da salvação se antes tomarmos conhecimento da nossa condição de pecado! Se primeiro choramos por causa da condição do nosso coração, pobre pecador e não suficiente em si mesmo, e depois nos alegrarmos com a obra da salvação em Cristo Jesus!

FELIZES OS QUE TÊM FOME E SEDE DE JUSTIÇA (Mateus 5:6)
Com esta afirmação Jesus certamente perdeu alguns seguidores, se Jesus fosse um youtube certamente
receberia algumas centenas de “dislikes”.
Israel era um povo cativo, de certa forma prisioneiro e dominado por Roma, e viveu assim durante muito
tempo, sendo prisioneiros, escravos de outras civilizações, dentro deste contexto o foco na expectativa da
chegado do Messias se direcionou para um guerreiro que viria lutar contra seus inimigos, derrotá-los, libertá-los da escravidão e ser o rei deles, muita gente já via Jesus como o messias, mas não o humilde
messias que abriu mão da sua glória, mas o messias guerreiro que iria lutar e dominar a terra.
Mas aí Jesus vem e diz, Felizes os Mansos! Porque eles herdarão a terra!
Se trata de uma qualidade espiritual que permitiu a Abraão, mesmo dentro de seus direitos, deixar que seu
sobrinho fizesse primeiro a escolha das terras e assim optar pela melhor parte.
Trata-se da atitude a qual o Deus revestiu Davi para que mesmo já tendo sido outorgado a ele o direito de
ser Rei, não tomou o trono de Saul, antes o respeitou e agiu com mansidão.

FELIZES OS MISERICORDIOSOS (Mateus 5:7)
Agora parece que Jesus altera o foco das afirmações, Ele agora está mais interessado na disposição do que na ação, na atitude no lugar da ação, no ser no lugar do fazer. Nós vemos a expressão da misericórdia na vida do bom samaritano, que não somente se entristeceu e se compadeceu da vítima, mas saiu do seu sossego, do seu conforto, cuidou dos ferimentos e levou o ferido para um lugar seguro e pagou as custas da sua estadia. É isso que significa misericórdia, não está envolvido apenas o sentimento de dor e compaixão, mas há o desejo de que a dor seja aliviada ou interrompida.
Então vamos compreender o que vimos até então, nos esvaziamos de nós mesmos nos tornando
humildemente pobres, lamentamos e choramos ao perceber como o nosso coração pode nos levar aos
piores caminhos possíveis, assim sendo não alcançamos o nosso direito de defesa quando somos acusados pelo outro pois já percebemos quem somos, e com um coração cheio de vontade de ser parecidos com o Pai buscamos, famintos a Deus e a sua justiça… isto nos fez perceber quem realmente somos e daí por diante quando olhamos para as mazelas dos outros não os condenamos, pelo contrário nosso coração se enche de compaixão, pois sabemos que o coração do outro é igual ao nosso.

FELIZES OS PUROS DE CORAÇÃO (Mateus 5:8)
O coração do homem recebe grande atenção nos evangelhos, os fariseus eram repreendidos por Jesus por “venderem uma falsa imagem” sobre a própria pessoa, vestiam a capa da religiosidade e tinham atitudes que os faziam parecer serem homens bons mas o coração deles estava repleto de cobiça e iniquidade.
Aqui Jesus não diz Felizes aqueles são intelectuais, ele diz felizes aqueles os puros de coração, isso quer
dizer que a nossa fé não é somente uma questão de doutrinas, regras, intelecto e entendimento, mas é
uma condição do coração. Você pode tentar arduamente, até o dia em que nos encontraremos com Cristo
novamente limpar seu coração por conta própria, mas ao terminar a sua vida o seu coração continuará tão
impuro quanto no início, ou talvez até mais impuro! Somente Deus pode fazer esta limpeza no coração do
Homem! Eu tirarei o seu coração de pedra e colocarei um coração de carne!

FELIZES OS PACIFICADORES (Mateus 5:9)
Algumas pessoas se identificam como pacificadores por fazerem qualquer coisa para não entrar em uma
briga, precisamos entender uma diferença entre apaziguadores e pacificadores.
O apaziguador procura meios para que se mantenha as boas relações, é possível se evitar guerras por este método, mas isso envolve a necessidade de contrapartidas, às vezes injustas e erradas com a intenção de se evitar o choque. Se contenta com a falsa pacificação.
Já o pacificador, não está nem aí para o status quo, ele irá buscar a concordância, não tem interesse em
deixar as coisas cobertas, o que está em jogo é um novo coração, um coração limpo.

FELIZES OS PERSEGUIDOS POR CAUSA DA JUSTIÇA (Mateus 5:10)
Esta é a última bem-aventurança, nós vemos aqui que se encerra um ciclo, deles é o Reino dos Céus!
Quem tem o DNA da felicidade é perseguido! É perseguido por ser um tipo de pessoa, que tem um
comportamento que destoa do status quo. É justamente por sermos PACIFICADORES que somos
perseguidos.
Jesus não foi perseguido porque era um homem bom, os seguidores de Jesus nunca foram perseguidos
porque eram homens bons, mas a razão é que eles eram tão diferentes, que havia neles alguma coisa que
fazia aquela gente se sentir condenada.
Para ser perseguido basta ser seguidor de Jesus.

JUSTIÇA x MISERICÓRDIA
Neste texto existe um aparente paradoxo, algo que para nós pode não harmoniza, combinar. É o caso da
Justiça e Misericórdia, a misericórdia é você não receber algo que merecia, um tanto diferente da graça de
Deus que é você receber algo que não merece. Já a justiça, é aplicar a lei.
Romanos 3:23 diz que TODOS PECARAM e estão destituídos da glória de Deus, e isso inclui a gente, ok?
Romanos 6:23 diz que O SALÁRIO DO PECADO É A MORTE.
Então o ato de JUSTIÇA para os PECADORES é a MORTE!, isso é justiça! Isso é o que merecemos!
No entanto um recebeu a justiça, a morte, para que muitos recebessem a misericórdia! (Isaías 53:5)

Série TEU REINO | #04 UMA VIDA DE SABORES E CORES DIVINAS | Pr Tércio da Rosa| 03.02.19

#04 UMA VIDA DE SABORES E CORES DIVINAS
(Pr Tércio da Rosa, 03/02/19)
Mateus 5:13-16

“Permitam-me dizer por que vocês estão aqui. Vocês estão aqui para ser o sal que traz sabor divino à terra. Se perderem a capacidade de salgar, como as pessoas poderão sentir o tempero da vida dedicada a Deus? Vocês não terão mais utilidade e acabarão no lixo. Há uma outra maneira de dizer a mesma coisa: vocês estão aqui para ser luz, para trazer as cores de Deus ao mundo. Deus não é um segredo a ser guardado. Vamos torná-lo público, tão público quanto uma cidade num plano elevado. Se faço de vocês portadores da luz, não pensem que é para escondê-los debaixo de um balde virado. Quero posicioná-los onde todos possam vê-los. Agora que estão no alto do morro, onde todos conseguem enxergá-los, tratem de brillhar! Mantenham sua casa aberta. Que a generosidade seja a marca da vida de vocês. Mostrando-se acessíveis aos outros, vocês motivarão as pessoas a se aproximarem de Deus, o generoso Pai do céu.” Mateus 5:13-16 AM

QUE MUNDO ERA ESSE? E COMO ELE ESTÁ HOJE? (1 João 5:19)
O mundo ESTAVA em trevas e VIVE nas trevas. Temos uma sociedade consumista, narcisista, violenta, gananciosa, hedonista. Que gasta dinheiro para ter mais dinheiro. Onde a lógica é individual. Justiça e igualdade não fazem parte do jogo. Vivemos na época da pós verdade, onde o que é dito não tem valor, credibilidade ou autenticidade e a mentira se torna verdade por repetição.

Qual é a visão que você tem do mundo em que vivemos?
Pra você ele está em chamas ou ainda é um bom lugar pra se viver?
A verdade é que o mundo é mau porque o homem é mau e não quer se submeter à vontade de Deus. E essa diferença vai dar o tom de seu compromisso com a palavra de Jesus.

SAL: O BOM NO MEIO DO RUIM
Jesus ao dizer “vocês são o sal da terra” está ressaltando a qualidade de PRESERVAR, de evitar a deterioração. O mundo está apodrecendo e não pode impedir a própria deterioração. O sal pode interromper ou retardar o processo de putrificação, da corrupção social e moral.

Pra fazer isso, o sal precisa ser esfregado, ou seja, o ato de preservar e conservar pressupõe contato. Relacionamento. Precisamos nos “esfregar” nas pessoas. A metáfora aqui é de INFLUÊNCIA e não de CONTROLE. Nossa missão não é controlar nem julgar o mundo, mas preservar o que é bom. Nossa missão é salvar o mundo da putrificação e insipidez.

O propósito da vida no Reino de Deus não tem nada a ver com o bem estar do discípulo. No mundo tereis aflições! Ser SAL implica em agregar valor num mundo em estágio avançado de podridão, que tira minha paz, minha saúde, meu dinheiro, meu tempo. Isso significa pagar o preço, anunciar o Evangelho o tempo todo com minha vida, meu testemunho e não necessariamente com meu discurso. (Se não somos a expressão do amor de Jesus, se não somos a Bíblia que o mundo lê, não há propósito em caminhar com Jesus e fazê-lo conhecido).

Ao mesmo tempo, ao ser usado o sal some… cumpre seu papel mas não aparece… e eu? Será que escolho a hora e o lugar para ser SAL? Digo quando devo sair do saleiro? Quão protagonista sou neste Reino?

Ser sal é ser irmão. É chorar com os que choram. Ação, atitude. Se me converti a Jesus, preciso me converter às pessoas. Ele ama as pessoas. Não classifico o pecado para justificar como e quando agir.

PUREZA E CONTAMINAÇÃO
O sal não estraga porque não é uma molécula orgânica. Porém, mesmo sendo um elemento químico estável, pode ser contaminado por impurezas, tornando-se inútil e até perigoso! A contaminação na maioria das vezes é sutil. Andamos num mundo sujo (Jesus lavou os pés dos discípulos), onde o risco de contaminação é real!

À época de Jesus, o sal era indispensável na apresentação de alguns sacrifícios no templo dos judeus. Quando recolhido do Mar Morto, parte era vendida para ser usada na alimentação, preservação e na medicina. A parte que se estragava era amontoada em depósitos para ser utilizado quando o inverno chegasse. Como em Jerusalém neva um pouco, o mármore do templo ficava escorregadio e perigoso. O sal era então jogado no chão e pisoteado pela multidão. Jesus disse que esse sal para nada mais servia. Quando somos contaminados, passamos “de SALvadores da sociedade a material de pavimentação de estradas!” A. B. Bruce

Como sal, temos a responsabilidade de interceder, de orar por mudança, por arrependimento, salvação. Mas se minha identidade for comprometida, se for negligente, serei lançado fora, sem valor, sem utilidade. Sem lugar para Deus ou no mundo e, neste caso, um inútil. A salinidade do cristão, a capacidade de salgar, de cumprir com seu propósito no mundo é o seu caráter: “Cuide do seu caráter que Deus cuida de sua reputação.”

NA MEDIDA CERTA (Colossenses 4:5,6)
Se para preservar o sal é usado em boa quantidade, de forma intencional, para dar sabor é importante ter equilíbrio. Já tentou comer algo que foi salgado além da conta?

É preciso saber como e quando usar o que Deus me deu. O que faço pode ser certo, mas não na medida e intensidade. Jesus atraiu as crianças. Jesus atraía as pessoas, multidões! Como você tem agido? Sou um repelente ou atraente de Jesus?

Que tipo de SAL você pretende ser? A que finalidade quer servir?

LUZ DO MUNDO (João 8:12)
Se o SAL diz respeito ao nosso caráter, a LUZ refere-se ao nosso testemunho.

A frase que diz que você nasceu para brilhar está correta! Mas brilhar pra quê mesmo?
O brilho dessa luz são as obras que glorificam a Deus, quando proclamo com palavras e com atos. Você é a LÂMPADA e Jesus é a LUZ; as pessoas precisam louvar a luz e não o meio pelo qual ela é gerada.

A razão pela qual muitas vezes não cumprimos plenamente o PLANO e o PROPÓSITO de Deus em nossas vidas está associada à uma incompreensão de quem somos e da nossa identidade. E um dos aspectos de nossa identidade é ser LUZ (Filipenses 2:12-15).

Jesus é a LUZ (João 1:8,9, 12; 9:5). A figura da luz, nosso testemunho é revelação. É nossa responsabilidade viver e manifestar o que Jesus nos ensinou, revelar o Pai (Efésios 1:18 / 2 Coríntios 4:3,4).

Que tipo de revelação Jesus trouxe? (1 João 1:5-7 / João 12:44-46) Jesus esteve para revelar o Pai, revelar Deus, manifestá-LO nesta terra. E nós temos a mesma responsabilidade. Fomos comissionados. Ser cristão não é apenas ter um código de conduta diferente, é revelar Deus nesta terra, ser luz aos que estão em trevas.

1 João 4 diz que “ninguém jamais viu a Deus…” mas diz também que “Deus é amor…”. O amor é a manifestação dEle, da Sua essência… quando andamos em amor, revelamos ao Pai. A força da nossa pregação não está apenas no que dizemos, mas na maneira como vivemos.

O QUE FAÇO PARA SER A LUZ?
Os maiores inimigos da nossa fé são o medo (dos homens) e a dúvida (Mateus 10:28 / Tiago 1:5-8). Temos um “tesouro em vaso de barro” e essa fragilidade, da nossa limitação carnal, por vezes impede a manifestação de Deus em nós. Na medida certa, pode nos ajudar a dar espaço ao quebrantamento e ao arrependimento, deixando que Cristo apareça ao quebrar o vaso e manifestar a luz. Só vou ser luz se a graça me abastecer, se o Espírito Santo me tocar.

Que tipo de LUZ você pretende ser? A que finalidade quer servir?

O QUE IMPLICA SER SAL E LUZ NO MUNDO?
1. DIFERENÇA. Existe uma diferença fundamental entre cristãos e não cristãos. A igreja e o mundo são comunidades separadas e sua relação depende da diferença. Para ser sal e luz precisamos ser diferentes na prática. Uma diferença que precisa ser conhecida, reconhecida para então ser influenciada.

2. RESPONSABILIDADE. Precisamos aceitar a responsabilidade que esta diferença coloca sobre nós. Somos chamados para servir O mundo e servir NO mundo. Não podemos viver alienados nem como vítimas. Onde eu POSSO ESTAR/TENHO IDO para agir e evitar a deterioração?

3. SE DAR E SE GASTAR (2 Coríntios 12:15 / Gálatas 6:9 / 2 Tessalonissenses 3:13). Ser SAL e LUZ cansa. Mas tenha ânimo, coragem… Jesus venceu o mundo! Não se canse de clamar, de chorar com o Espírito, de ser o sal que não se contamina, que foi purificado pelo sangue derramado na cruz. Não se canse de ser a luz que elimina as trevas da alma. Não se canse de ser usado por Jesus. Esta é a única maneira de viver a plenitude do “já” e do “ainda não”… começa aqui, com a esperança do céu!

COMO PODEMOS SER SAL E LUZ?
DENUNCIANDO o que não está certo, sendo mais corajoso na condenação do mal. Jesus não disse que somos “O MEL DO MUNDO”, mas o “SAL DA TERRA”. Nada fica escondido quando a luz entra.

APOIANDO o que é bom. Na Igreja ou fora dela, os projetos sociais, os grupos de relacionamento, as boas ideias e iniciativas. Somos chamados a melhorar as estruturas da sociedade e transformar as pessoas através do Evangelho. A Reforma Protestante trouxe acessibilidade à Palavra. As igrejas cristãs da Inglaterra detonaram a ação abolicionista no séc XIX. A Igreja influenciou e criou ao longo da história universidades, hospitais, bibliotecas, estudos científicos, política, direitos humanos… é a nossa vez!

Que Ele nos dê graça de salgar a terra, a vida de quem está perto, com um Evangelho que preserva e que Ele seja a nossa fonte para ser a luz do mundo, refletindo vida, capaz de eliminar a escuridão da alma.

Série TEU REINO | #03 POR QUE ME CHAMAM SENHOR… | Pr Maidana | 27.01.19

#03 POR QUE ME CHAMAM DE SENHOR SE NÃO FAZEM O QUE EU DIGO?
(Pr Maidana, 27/01/19)
Lucas 6:46-49

O grande desafio que esta série tem nos trazido é: como viver como um autêntico cidadão do Reino num mundo tão corrompido pelo pecado? Ao olhar para o Sermão do Monte, percebemos princípios que ressaltam que somos cidadãos do Reino de Deus e isso nos coloca, na maioria das vezes, em uma posição de conflito com a cultura que nos cerca (contracultura cristã).

Você já passou por uma situação em que pensava estar obedecendo, quando na realidade estava fazendo aquilo que achava melhor? Quando olhamos para o que Jesus ensina sobre obediência, nos damos conta de que continuamos agindo movidos pela nossa vontade, pelo nosso coração obstinado e egoísta.

Ao contar esta história, Jesus queria exemplificar um homem prudente e um homem insensato. Ao exemplificá-los, a partir da forma como escolheram construir suas casas, Jesus enfatiza a insensatez do homem que construiu sua casa sobre a areia; Ele não estava apenas ressaltando a grande tolice que ele havia feito, ou o seu desconhecimento de princípios de engenharia. Ele queria chamar a atenção para a contradição existente naqueles que O professavam como Senhor mas não obedeciam o que Ele lhes dizia. Recebiam Jesus como Salvador, mas não O queriam como Senhor. Eram apenas ouvintes, e não praticantes.

1. OBEDECER É UMA ESCOLHA QUE DEVEMOS FAZER TODOS OS DIAS
Muitas vezes somos seletivos quando se trata da submissão ao senhorio de Cristo. Quantas vezes Deus já te falou para perdoar alguém, fazer uma visita, servir o necessitado ou em um ministério, para amar alguém, para se doar… e você escolheu não obedecer? Não precisamos esperar coluna de fogo, ventos, ou sarça ardente para Deus falar conosco. Basta olharmos para a Palavra. No próprio Sermão do Monte, Ele falou sobre ajudar aos necessitados, amar os inimigos, sobre sermos pacificadores, entrar pela porta estreita, etc. A desobediência é fruto da falta de compromisso diário com Jesus como Senhor de nossas vidas.

2. A OBEDIÊNCIA GERA SATISFAÇÃO (Tiago 1:22-25 / Lucas 11:28 / Isaías 1:19)
Quando estamos comprometidos com Cristo, servimos à Ele com o coração cheio de gratidão, não por obrigação, mas ofertamos nosso servir em agradecimento a tudo o que temos recebido dEle. Qual a consequência desta atitude? Alegria, satisfação, felicidade, ainda que a consequência imediata da obediência não seja aquela que desejávamos. Precisamos descansar na vontade do Senhor, que é boa, agradável e perfeita.

Se olharmos para os exemplos bíblicos de homens e mulheres que obedeceram, veremos a bênção de Deus sobre todos eles. Veja Gênesis 6:22; 22:15-18. Por outro lado, a desobediência também gerou uma das repreensões mais duras sofridas por alguém na Bíblia – 1 Samuel 15. Deus não se aliança com a desobediência.

3. OBEDIÊNCIA PRESSUPÕE RENÚNCIA
Às vezes pensamos que obedecer é algo muito difícil, que o que Jesus está nos pedindo é muito pesado, que não conseguiremos suportar ou realizar. Quando este pensamento vier à sua mente, lembre-se do texto que Paulo escreveu aos Filipenses, no capítulo 2, versículos de 5 a 8. Pela minha e pela tua vida, Cristo obedeceu ao Pai, entregando a Sua vida e morrendo numa cruz. Parece simples e fácil, mas não esqueça da sequência de suas palavras:

“Se for possível, passa de mim esse cálice”
“Mas não seja feita a minha vontade, mas sim a Tua.”

Jesus renunciou a qualquer outro projeto que não fosse cumprir a vontade do Pai.

Todo reino está firmado na autoridade de um rei, que deve ser obedecido. E o Reino dos Céus está firmado na autoridade do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Se assim não fosse, teríamos que reescrever a oração do Pai Nosso: “Venha a nós o Teu Reino, seja feita a nossa vontade.”

Se quisermos obedecer ao Pai em tudo, precisamos nos humilhar, abrir mão, deixar que o senhorio dEle seja completo em nós. Precisamos deixar de sermos seletivos. Não existe sacrifício maior que morrer (numa cruz) pelos pecados de toda a humanidade, e Jesus já fez isso. Tudo que Ele nos pede é um coração aberto, íntegro e pronto para Lhe obedecer. Ouvir a Sua palavra e praticar. Eis o segredo para construirmos uma casa com alicerces sólidos.

A obediência à Palavra é o que nos mantém alicerçados em Deus diante das adversidades.

Serei apenas ouvinte da Palavra ou serei praticante? Serei servo obediente ou ouvirei a frase “Por que me chamam de Senhor se não fazem o que eu digo?”

Lembra das duas evidências de uma igreja cheia do Espírito? O amor e a obediência. Pense na revolução que acontecerá nesta cidade quando uma igreja se levantar, cheia de amor e plenamente submissa ao senhorio de Cristo… vamos juntos?

Série TEU REINO | #02 VENHA A NÓS O TEU REINO… | Pr Tércio | 20.01.19

#02 VENHA A NÓS O TEU REINO, SEJA FEITA A TUA VONTADE
(Pr Tércio, 20/01/19)
Mateus 6:10

Essa frase faz parte da oração do Pai Nosso ensinada por Jesus e repetida pelos cristãos e até mesmo por não cristãos em muitas partes do Mundo. Reino tem a ver com governo, autoridade, senhorio. Significa que alguém manda, dirige, orienta, dá as regras, estabelece os valores, os princípios e propósitos. Deus tem liberdade de estabelecer a Sua vontade de forma plena no céu, sem obstáculos, rejeições, resistências nem oposições. Nesta oração que Jesus nos ensinou, há um pedido grandioso de fazer vir até nós o Reino de Deus, que já enviou sua Palavra, que é a Sua vontade, e também estabeleceu o seu Reino aqui através de Jesus (Mateus 4:17). Jesus trouxe o céu à terra com poder e implantou uma base do céu – Sua Igreja (Lucas 17.21). Mas antes de se estabelecer do lado de fora, o Reino de Deus precisa se estabelecer em nossos corações.

Você já se viu em um momento em que precisava tomar uma decisão e queria saber a vontade de Deus? O que você fez?

Talvez a sua principal resolução de ano novo tenha sido “Eu quero fazer aquilo que Deus quer para minha vida!” E você deve fazer isso sem medo (Isaías 55:8-9 / Jeremias 29:11 / Jó 42:2), confiando que a vontade do Senhor é o melhor para nossa vida (Romanos 12:1,2). Mas porque é tão difícil, às vezes, descobrir a vontade de Deus? A grande questão é que invariavelmente isso passa pela disposição e busca intencional por pagar o preço de viver um relacionamento íntimo com Deus e, talvez, muitos de nós ainda estejamos dependentes de outros para nos conduzir à Sua vontade. Caixinhas de promessas e devocionais são boas ferramentas, mas este nível de relacionamento só mostra o quão imaturos e superficiais somos pra com Ele.

Como então buscar a orientação da vontade de Deus em nossa vida e decisões?
Assim como a receita de um bolo, sugiro atenção à ordem aqui proposta.

1 | Desenvolva um CORAÇÃO INCLINADO ao Senhor
Quando você anda perto do Senhor, Ele vai moldando aos poucos seu caráter, influenciando sua vida e, aos poucos, seus desejos também são moldados. Você aprende a se alegrar no Senhor, depender do Senhor e confiar Nele (Salmos 37:4). Quando busca entender a vontade de Deus, você precisa checar se seu coração está inclinado não apenas em saber Sua vontade, mas em obedecê-la (Tiago 4:3 / Jeremias 29:11-13 / Salmos 51:17).

2 | Leia a BÍBLIA (toda a vontade de Deus está nela)
Deus nos deu a Palavra para ser nosso guia de fé e prática. Uma das formas em que um discípulo de Jesus alcança sabedoria é lendo a Palavra e colocando-a em prática. Se isso não acontece em sua vida, pare tudo e volte a esse ponto (2 Timóteo 3:14-17). Você precisa passar tempo lendo a Palavra de Deus e obedecendo ao que Deus te revelar, ou você nunca vai amadurecer na fé cristã; você nunca será sábio se não conhecer a Palavra de Deus!

a. Aprenda a interpretar a Bíblia
Podemos tirar da Bíblia quase qualquer coisa que quisermos, se não usarmos algumas ferramentas de interpretação.
* Contexto: ao ler, perceba todo o texto que há antes e depois do que leu. Leia o livro todo, antes de tirar alguma lição. Se a conclusão que você chegou está em desacordo com o restante da Bíblia, saiba que você está errado, e não a Bíblia.
* Alegorização: cuidado com essa mania de achar que tudo tem algo por trás.
* Traduções múltiplas: leia em mais de uma tradução… isso pode ajudar no entendimento.

b. Aprenda a orar enquanto lê a Bíblia
Para conhecer a vontade de Deus na Palavra, precisamos de entendimento espiritual. Por isso, é preciso ler a Palavra em oração, pedindo ao Espírito Santo ajuda para discernir Sua Palavra.

c. Aprenda a memorizar e meditar na Palavra
Quando você memoriza, a Palavra está na sua mente e você pode “ruminar” aquele ensino o tempo todo. (Salmos 119:11). O exercício que completa a memorização é a meditação na Palavra de Deus (Salmos 1:1-3).

d. Aprenda a obedecer humildemente as escrituras
Você deve chegar a Deus com um coração honesto, inclinado a Lhe obedecer. Se Deus fala, temos que humildemente obedecer aos seus comandos. A liderança dEle precisa ser absoluta em nossa vida (Tiago 1:22)

3 | Busque CONSELHOS SÁBIOS
O próximo passo é chegar perto de pessoas sábias. Mas não faça isso antes de ter o seu coração inclinado ao Senhor e buscar a direção na Palavra (Provérbios 13:20). Você é do tipo que sempre depende de pessoas para tomar suas decisões? Está errado. Você é do tipo que jamais busca conselho de pessoas, decide sempre sozinho? Está errado. Busque conselho de pessoas sábias, que andam com Deus e que tenham o coração inclinado para fazer a vontade dEle (Provérbios 9:10). Procure uma pessoa a quem você admira e confia e que você esteja disposto a ouví-la.

4 | PROVIDÊNCIA de Deus
O que é providência? “A atividade de Deus pela qual Ele conserva, cuida e governa o mundo que Ele fez” Pascal P. Belew

Deus não está sujeito a acidentes e NADA acontece por acaso na vida de um discípulo de Jesus. Mas então não podemos fazer planos? Não há nada errado em fazer planos. O cuidado é entender que os planos e alvos estabelecidos não são o seu deus! Confie na providência de Deus e consagre seus planos ao Senhor e descanse o seu coração (Provérbios 16:1,3,7,9 / Mateus 22:29).

5 | BOM SENSO
Nesse momento, você precisa usar a sua inteligência, capacidade de reflexão, avaliação e fazer a seguinte pergunta: Isso faz sentido? Deus não nos deu a inteligência e capacidades para simplesmente ignorá-las nesse processo. Nem sempre a orientação de Deus virá por meio de algo espetacular (Atos 20:16). A diferença é que, como discípulos de Jesus, devemos usar essa capacidade após os outros passos do processo!

6 | INTERVENÇÃO DIVINA
Deus pode agir em nossa vida e intervir diretamente sem que haja qualquer ação da nossa parte. Ele é soberano, e pode fazer isso a qualquer momento (Apocalipse 3:7-8)

Que em 2019 você possa buscar a orientação divina em cada decisão ou sonho (Mateus 6:33). Deixe o egoísmo e o orgulho de lado e decida viver completamente debaixo da orientação de Deus, nas pequenas e grandes decisões.

Reflita ainda sobre estas posturas do coração relacionadas ao fato de Deus intervir na sua vida e fazer diferente do planejado ou desejado…

A) Deus não existe e isso tudo é uma baboseira.
Postura do coração: Assume o governo da própria vida e passa a vivê-la negando a existência e intervenção de Deus na história humana. Resultado: Vida independente e presunçosa.

B) Deus é mal, não me ama e não se interessa pela minha vida.
Postura do coração: Também não estou nem aí para Ele. Autopiedade, ressentimento. Resultado: Rebeldia, mágoa, ressentimento. Transfere a culpa para Deus da situação, não admite a contribuição das escolhas independentes e vive de mal com os outros e consigo mesmo.

C) Não entendi o que está acontecendo; não entendi porque…
Postura do coração: Não entendi, mas creio que Deus me ama e que está no controle de todas as coisas e que valerá a pena continuar confiando NEle para governar a minha vida e o meu futuro. Resultado: Amadurecimento da fé e do conhecimento de Deus.

Olhe para o seu coração… com quem você se identifica mais?

Série TEU REINO | #01 ESCOLHENDO O CAMINHO DE JESUS | Pr Caio | 13.01.19

#01 ESCOLHENDO O CAMINHO DE JESUS
(Pr Caio, 13/01/19)
Mateus 7:13,14

Esse texto nos põe diante de duas opções. Eles nos fala sobre uma porta larga e um caminho amplo. E ele também nos fala sobre uma porta estreita e um apertado caminho. E aqui temos o primeiro ensino.

1) Seguir a Jesus é uma ESCOLHA PESSOAL (Tiago 2:18-20)
Como é possível ter fé sem que ela seja acompanhada de ações? Não é possível. O texto nos instiga dizendo que a fé sem ações não vale nada. Jesus nos convida a olhar para o texto e sermos sacudidos, para dentro do nosso coração e perceber se nós de fato entendemos isso. Você entende que Deus quer de você uma postura clara sobre quem você é?

(Lucas 11:23) Esse texto me faz pensar que não há muro no cristianismo. Não há um lugar confortável onde você pode se sentar e apenas observar o que está acontecendo sem tomar uma decisão. Se você não junta, você espalha. Você já fez esta escolha? Não espere que alguém a faça por você. É algo entre você e Deus.

Essa ESCOLHA PESSOAL se dá em dois sentidos. O primeiro em relação a expressão “porta estreita”.

2) Seguir Jesus é uma ESCOLHA ETERNA. (Atos 2:38)
Quando o texto fala em entrar para porta estreita ele tá dizendo “Entregue a sua vida para Jesus”. Decida entrar em um lugar novo, em uma porta que vai te levar para um lugar novo. Se arrependa da vida que tem vivido e, em nome de Jesus, seja aceito como filho. Entre por essa porta estreita que é Jesus e você não vai se arrepender! (João 10:7-10)

Mas o texto também nos fala sobre um “apertado caminho”. E aqui fica claro o ensino de algo mais comprido, algo contínuo. É um caminho que leva para a vida não é só uma decisão como quando Jesus nos convida a entrar na porta, mas sobre toda a jornada que vem depois. E o que aprendemos aqui é que

3) Seguir Jesus é uma ESCOLHA DIÁRIA.
Precisamos decidir todos os dias e em todas as circunstâncias, sentimentos, dores, alegrias e situações nos parecer com Jesus. Neste caminho que dura toda vida, vamos destacar 3 áreas onde podemos exercer o andar em um “caminho estreito”.
3.1) Escolha o caminho estreito nos seus RELACIONAMENTOS. (Romanos 12:17-21)
Quando ouvimos algo que não gostamos, o “mal” que há em nós desperta, nosso coração se infla e, às vezes, pensamos em responder algo que não deveríamos. Ou apenas pensamos coisas ruins e as guardamos no coração. Mas no “caminho estreito” não fazemos o que o coração mau deseja, mas sim aquilo que a Palavra de Deus nos direciona.

Vale a pena perder os relacionamentos mais importantes por causa de brigas, dinheiro, orgulho, falta de perdão, temperamento, falta de rendição? Essa é porta estreita e porta larga que Deus nos propõe todos os dias.

3.2) Escolha o caminho estreito no uso da sua LÍNGUA. (Efésios 5:1-5)
Somos filhos queridos de Deus. Você quer ter um filho “boca suja”? Deus também não! E se você duvida do perigo da nossa língua, leia Provérbios 10:19. Deus está nos convidando a usar a nossa língua com sabedoria, controlando ela. Submeta ela ao Espírito. Você não pode dizer tudo o que você quer e o que pensa (Gálatas 5:13).

3.3) Escolha o caminho estreito não obedecendo a CARNE. (Gálatas 5:16,17)
Não podemos fazer o que queremos! Viver o caminho estreito é dizer não quando o nosso coração pecaminoso pede pecado. É deixar o Espírito Santo nos moldar para que cada dia mais a gente entenda que o caminhar com Jesus é dizer não para nós mesmos para dizer sim para ele.

(1 Pe 1:14-15 / 1 Co 10:13)
Temos um Deus que nos chama para ser santo, igual a Ele, mas que nos promete que as nossas tentações são suportáveis.

Você quer entrar por essa porta estreita?
Você quer andar por esse caminho apertado pelo resto da sua vida?
Qual escolha você vai fazer hoje?

AROMA AGRADÁVEL | Pr Leandro | 06.01.19

AROMA AGRADÁVEL
(Pr Leandro, 06/01/19)

Cada época do ano traz consigo cheiros e aromas característicos. No frio, cheiro de bergamota, de chocolate quente. Na época da primavera, o cheiro de diferentes espécies de flores. No verão, o cheiro de chuva, de terra molhada, de um parreiral… cheiro de protetor solar!

Muito interessante perceber que a Bíblia apresenta Deus como Deus que aprecia um bom cheiro!

Na época de Noé, Deus observou quanto havia aumentado a perversidade dos seres humanos e viu que todos os seus pensamentos e seus propósitos eram sempre inteiramente maus. Nessa sociedade corrompida e podre, a vida de Noé destoava (Gn 6:9), tinha outro cheiro.

O pecado é terrível e destrói com a vida das pessoas. Deus decide então acabar com tudo e faz isso por meio do dilúvio. Mas poupou um casal de cada espécie de animais com Noé e sua família (Gn 7:1).

Pela fé, Noé exala então o bom cheiro da obediência (Gn 7:5). Deus prometeu nunca mais destruir tudo na terra, até o dia do juízo, quando Cristo voltará, para destruir o mal para sempre. Enquanto isso, cada mudança de estação é um lembrete de sua promessa (Gn 8:20-22).

Servimos a um Deus que aprecia um bom cheiro! E aí a gente começa a entender que o que teve de cheiroso nesse sacrifício oferecido por Noé foi a maneira como ele encarou a vida.

Quero te desafiar e te encorajar nesse início de ano a pensar que a maneira como você vive, pensa, decide, trata as pessoas, isso tudo, pode chegar até Deus como um aroma suave e agradável a Ele.

Você tem cheiro de quê? Qual o aroma que tem exalado da sua vida?

Os sacrifícios eram para a adoração a Deus e também como forma de se ter perdão do pecado. Por meio dos sacrifícios, Deus estava procurando ensinar a respeito da gravidade e custo do pecado, para que vejamos que não conseguimos perdoar a nós mesmos. No Antigo Testamento, a vida de um animal era dada para salvar a vida de uma pessoa. As ofertas de sacrifícios de animais demonstravam que a pessoa estava entregando sua vida a Deus, por meio da vida do animal (Êxodo 29:18).

Mas esta era apenas uma medida temporária, que apontava para a vida do sacrifício definitivo que viria (João 1:29). O sacrifício de Jesus na cruz pagou a punição do pecado da humanidade para sempre. Foi o cumprimento supremo de tudo o que os sacrifícios do Antigo Testamento representavam. Crendo nele, não somos mais culpados, mas purificados e tornados justos. Não devemos aceitar alguma alternativa ou algum substituto para ele. O sacrifício de Jesus é suficiente e definitivo. (Hb 9:12)

Os sacrifícios faziam parte de um pacote de instruções de Deus ao povo de Israel quando ele foi milagrosamente tirado do Egito, terra da escravidão. Um Deus Santo ensinando um povo a ser povo santo. Santo significa separado. Primeiro Deus tirou o povo de Israel do Egito; depois teve que tirar o Egito do povo. Ele lhes mostrou como trocar o modo de vida e mentalidade dos egípcios e escrava por seus caminhos.

É o mesmo que Deus faz hoje com cada um de nós. Ele nos tira da terra da escravidão do pecado quando cremos no sacrifício de Jesus. A partir disso, somos seu povo, seus filhos. Ele passa então a nos ensinar um novo jeito de ser, uma nova mentalidade, novo jeito de encarar a vida. E à medida que vamos vivendo essa nova vida, esta é a nossa adoração. Um sacrifício cheio de vida que agrada a Deus! (1 Sm 15:22-23; Rm 12:1-2)

Resoluções corretas agradam a Deus! É Ele quem nos ajuda a tomá-las e também é Ele quem nos dá o poder para colocá-las em prática! E a execução desse novo jeito de viver chega como um aroma agradável a Ele. (Ef 5:1-2; 3-10)

A maneira como você vive, pensa, decide, trata as pessoas, isso tudo, chega até Deus como um aroma suave e agradável a Ele. O modo como você lida com as injustiças e os sofrimentos da vida, a sua reação quando você erra, quem você é quando ninguém está olhando, a forma como você trata quem não te trata bem, tudo isso pode ser uma adoração com aroma agradável a Deus. Isso primeiro agrada a Deus e depois respinga nas pessoas. (Tg 3:13-17)

A Bíblia nos encoraja a exalar um cheiro agradável em meio a um mundo com valores distorcidos. Foi assim com Noé. Deus nos capacita a exalar um aroma agradável num contexto adverso, numa cultura diferente. Foi assim com Daniel (Dn 6:4). Pode ser assim com a gente (1 Pe 2:12; 3:16). Pessoas comuns, como você e eu, como os primeiros discípulos de Jesus – exalando o aroma de Cristo. (2 Co 2:14-17; At 4:13)

As pessoas ao teu redor reconhecem que você tem estado com Jesus?

O teu caráter e as tuas atitudes exalam o perfume de Cristo?

Como filhos de Deus, somos cidadãos do céu vivendo aqui nessa terra. (Fp 3:20)

À medida que vamos aprendendo um dia de cada vez, obedecendo um passo de cada vez, à medida que a oração de Jesus que ficou conhecida como oração do “Pai nosso” vai não apenas sendo feita…”Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu…”, algo acontece:

Os aromas se misturam. É o aroma de Cristo em você.

É o cheiro do céu sendo exalado na terra por meio da tua vida.